Bruno Pinto, Carlos Bica, João Guimarães e Marcos Cavaleiro

31 de Maio, 2022 – 21H30
Carmo'81

Concerto: Jazz
Duração:  50 min. aprox.
Com: Bruno Pinto (guitarra), Carlos Bica (contrabaixo), João Guimarães (saxofone alto) e Marcos Cavaleiro(bateria)
Tag: Jazz
Duration:  50 min. aprox.
With: Bruno Pinto (guitar), Carlos Bica (doublebass), João Guimarães (alto sax) e Marcos Cavaleiro(drums)

POR
BRUNO PINTO na guitarra, CARLOS BICA no contrabaixo, JOÃO GUIMARÃES no sax alto e MARCOS CAVALEIRO na bateria apresentam-se em concerto depois de 3 dias de residência artística na Gira Sol Azul em Viseu. Sob o nome ARMADILLO, este colectivo é, tal como o animal, distinto. De gerações, formas e tamanhos únicos, estes músicos encontram-se aqui munidos das diferentes e contrastantes influências individuais para um encontro inédito onde convergem e vertem a sua musicalidade própria. Do gigante Carlos Bica, contrabaixista de assinatura sonora inconfundível, que funde na sua música o jazz, o rock, a música erudita e a contemporânea, passando por Marcos Cavaleiro, baterista e compositor excelente da geração actual, que versa nos seus projectos tanto o jazz nas suas variadas vertentes, como a música e a percussão inspirada no tradicional, e ainda João Guimarães, saxofonista também ele da actual geração jazzística, incrível músico e compositor dono de um universo musical próprio, até Bruno Pinto, guitarrista de fortes alicerces nos riffs do rock e do metal, influenciado ainda pelo jazz e música étnica. Uma coisa possuem em comum, a busca incessante de algo distinto e de novas formas e cromatismos.

ENG
BRUNO PINTO on guitar, CARLOS BICA on bass, JOÃO GUIMARÃES on alto sax and MARCOS CAVALEIRO on drums present themselves in concert after 3 days of artistic residence in Gira Sol Azul in Viseu. Under the name ARMADILLO, this collective is, like the animal, distinct. Of unique generations, shapes and sizes, these musicians meet here armed with their different and contrasting individual influences for an unprecedented meeting where they converge and pour their own musicality. From the giant Carlos Bica, bass player with an unmistakable sound signature, who fuses in his music jazz, rock, erudite and contemporary music, to Marcos Cavaleiro, drummer and excellent composer of the current generation, who covers in his projects both jazz in its various forms, João Guimarães, saxophonist, also a member of the current jazz generation, an incredible musician and composer with his own musical universe, and Bruno Pinto, guitarist with strong roots in rock and metal riffs, also influenced by jazz and ethnic music. They have one thing in common, the incessant search for something different and for new forms and chromaticisms.

BRUNO PINTO
Músico e compositor, frequentou os conservatórios de música de Viseu e Aveiro. Licenciou-se em Educação Musical em 2003. Teve aulas particulares, na área da música jazz, com Luís Lapa, Carlos Mendes, Mário Santos, Paulo Pinto e Nuno Ferreira e também na área da educação musical frequentou workshops de Jos Wuitack, Pierre van Hauwe, Murray Schaefer, Edwin Gordon. Integra os grupos Aurora Brava (guitarra, composição e letras), Tranglomango, Colectivo Gira Sol Azul, Moto Moto, Tributal, Stopestra. No seio do Colectivo Gira Sol Azul tocou com Dominique Di Piazza, Freddie Gavita, Manuela Panizzo. Compõe música para teatro e bandas-sonoras, tendo colaborado com Helen Ainsworth, Rogério de Carvalho, Rafaela Santos, Filipe Raposo, Filipa Francisco. Compôs uma banda sonora para o filme mudo Paris Qui Dort, que estreou ao vivo a solo em Julho de 2014 no Teatro Viriato – Viseu. Integra o espetáculo Viajantes Solitários (Joana Craveiro/Teatro do Vestido) para o qual compôs a música. Colabora regularmente em projetos do serviço educativo da Casa da Música, Porto. Co-fundou a Associação Gira Sol Azul na qual colabora e integra a equipa de vários projetos musicais como concertos para bebés e família, Orquestra (in)fusão e o grupo A Voz do Rock.

CARLOS BICA
Quando se fala da música de Carlos Bica a crítica costuma salientar a forma como nela se interpenetram referências de diferentes universos, da música erudita contemporânea à folk, ao rock, ao jazz, às músicas improvisadas. O que corresponde, como seria natural, à própria trajetória do músico compositor. Aprendeu a tocar contrabaixo na Academia dos Amadores de Música e na Escola Superior de Música de Würzburg, na Alemanha. Foi membro da Orquestra de Câmara de Lisboa, assim como de diversas orquestras de câmaras alemãs, tais como, a Bach Kammerorchester e a Wernecker Kammerorchester. Fez muita música improvisada, durante anos tocou com a cantora Maria João, trabalhou e gravou na área da música popular portuguesa com Carlos do Carmo, José Mário Branco, Camané, Janita Salomé, Pedro Caldeira Cabral, Cristina Branco e colaborou com músicos como Ray Anderson, Kenny Wheeler, Aki Takase, Kurt Rosenwinkel, John Zorn, Lee Konitz, Mário Laginha, Mathias Schubert, Claudio Puntin, João Paulo Esteves da Silva, Gebhard Ullmann, Paolo Fresu, David Friedman, Ulrike Haage, Alexander von Schlippenbach, John Ruocco, Daniel Erdmann, DJ Illvibe, entre outros.

JOÃO GUIMARÃES
João Guimarães, líder do grupo, músico, compositor e saxofonista. Já antes de rumar para Nova Iorque para estudar na Manhattan School of Music, depois de concluída a sua formação na ESMAE (Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo) João Guimarães (saxofone) era membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos. João é exemplo cimeiro, entre os músicos da sua geração, de um instrumentista simultaneamente detentor de competências técnicas invejáveis, por um lado, e da manutenção da curiosidade e gosto pela experimentação. É membro da Orquestra de Jazz de Matosinhos, do trio Hitchpop e fez parte da banda portuense Insert Coin, entre outros. Depois do seu primeiro trabalho como líder, Zero, para octeto, lançado pela TOAP e encomenda do Festival de Jazz de Guimarães em 2013, lança em 2020 um novo disco – UM.

MARCOS CAVALEIRO
Nasceu em Basel e iniciou os seus estudos musicais na cidade da Guarda.
Estudou na escola Taller de Musics em Barcelona e, mais tarde, licenciou-se pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto. No seu percurso teve a oportunidade de colaborar com André Fernandes, Albert Bovet, Bernardo Sasseti, Bernardo Moreira, Demian Cabaud, Ernesto Jodos, Guillermo Klein, Jeff Davis,Jean-Michel Pilc, João Paulo Esteves da Silva,Julian Arguelles, Jorge Rossy, Kevin Hays, Leo Genovese, Maria João e Mário Laginha, Matt Renzi, Nuno Ferreira, Nelson Cascais, Ohad Talmor, Pedro Moreira, Ricardo Toscano, Thomas Morgan, entre outros.
Colabora com a Orquestra Jazz de Matosinhos desde 2007, tendo tido o privilégio de trabalhar com Carla Bley & Steve Swallow, Chris Cheek, Fred Hersch, Jim McNeely, Kurt Rosenwinkel, Lee Konitz, Maria Schneider, Maria Rita, Maria João, Mayra Andrade, Mark Turner, Manuel Cruz, Manuela Azevedo, Marta Ren, Michael Mantler, Perico Sambeat, Rich Perry, Rebecca Martin, Sérgio Godinho.
Em 2020 lançou o seu primeiro disco intitulado “Sete” (Carimbo PortaJazz), com os músicos André Fernades, João Guimarães, José Pedro Coelho e contrabaixta norte-americano Thomas Morgan.
Como sideman tem acompanhado diversos músicos pela Europa, nos EUA e na América Central.