Gira Big Band feat. Omar

20 de Dezembro, 2022 – 21H30
Teatro Viriato

DONATIVO
SUGERIDO: 5€
Concerto: Jazz
Duração:  50 min. aprox.
Direção:  João Martins
Com: Omar (voz); Colectivo Gira Sol Azul: Joaquim Rodrigues (piano); Bruno Pinto (guitarra); Olívia Pinto (baixo); Miguel Rodrigues (bateria); Jasmim Pinto, Miguel Carrondo, João Pedro Rodrigues e Hugo Silva (trompete); Inês Rodrigues, Inês Rocha e Lara (flauta); Carlos Silva, Daniela Ferreira e Diana Ferreira (clarinete); David Gomes, José Eduardo Magalhães, João Guimarães, Miguel Casanova, Ana Bento, Gabriel Silva e Dulcineia Guerra (saxofone); João Gomes (bombardino); Sérgio Mady (trompa); Constança Cardoso e Pedro Ferreira (trombone); Luísa Antunes e Maria Loureiro (violoncelo).
Tag: Jazz
Duration:  50 min. aprox.
Music Direction: João Martins
With: Omar (voice); Colectivo Gira Sol Azul: Joaquim Rodrigues (piano); Bruno Pinto (guitar); Olívia Pinto (bass); Miguel Rodrigues (drums); Jasmim Pinto, Miguel Carrondo, João Pedro Rodrigues and Hugo Silva (trumpet); Inês Rodrigues, Inês Rocha and Lara (flute); Carlos Silva, Daniela Ferreira and Diana Ferreira (clarinet); David Gomes, José Eduardo Magalhães, João Guimarães, Miguel Casanova, Ana Bento, Gabriel Silva and Dulcineia Guerra (saxophone); João Gomes (bombardine); Sérgio Mady (horn); Constança Cardoso and Pedro Ferreira (trombone); Luísa Antunes and Maria Loureiro (cello).

POR
A Gira Big Band é um coletivo de jovens músicos oriundos de bandas filarmónicas da região de Viseu que surgiu num contexto de formação ao longo de 4 edições do festival Que Jazz É Este? em Viseu, acompanhados pelo Colectivo Gira Sol Azul sob a direção de João Martins.
Este coletivo apresenta-se num concerto especial com Omar Lye-fook, cantor e multi-instrumentista, soma já mais trinta e oito anos de carreira como compositor e músico. A primeira coisa de que se deve falar sobre Omar é a qualidade e variedade de ingredientes da sua música, que desde sempre avançou mais além na renovação da música soul. Entre outros, colaborou em dueto com Stevie Wonder, Erykah Badu ou Angie Stone. No seu último álbum “Love in Beats” participam, a exemplo, Mayra Andrade e Robert Glasper.

ENG
The Gira Big Band is a collective of young musicians from philharmonic bands in the Viseu that emerged in a training context over 4 editions of the festival Que Jazz É Este?, accompanied by the Gira Sol Azul Collective under the direction of João Martins.
Now, this collective will be presenting a special concert with Omar Lye-fook, singer and multi-instrumentalist, with more than thirty-eight years of career as composer and musician. The first thing to talk about Omar is the quality and variety of ingredients of his music, which has always gone further in renewing soul music. Among others, he has collaborated in duets with Stevie Wonder, Erykah Badu or Angie Stone. His latest album “Love in Beats” features, for example, Mayra Andrade and Robert Glasper.

OMAR LYE-FOOK
Omar começou por chamar atenção há quase quatro décadas, com o seu single de estreia “Mr. Postman/You And Me” lançado pela editora indie Kongo Dance, tornando-se rapidamente um destaque na cena alternativa Londrina. Pouco depois “There’s Nothing Like This”, uma balada de amor, foi suficiente para que Gilles Peterson o convidasse a assinar pela sua editora, Talkin’ Loud por onde editou dois discos. O primeiro foi um novo arranjo do seu set “Kongo” e o segundo, “Music”, tratou-se de uma abordagem bem mais orgânica e orquestral que definiu a sua maturidade enquanto compositor e vocalista.
Mais tarde assinou com a RCA, parceria que resultaria noutros dois álbuns, altamente bem recebidos pela crítica e que lhe valeram a oportunidade de conhecer muitos dos seus ídolos.
No disco “For Pleasure”, de 1994, um disco que inclui temas como “Saturday”, “Outside” e “Little Boy” – o favorito de Erykah Badu – trabalhou ao lado dos lendários produtores Leon Ware e lamont Dozier. O álbum “This is not a love song” (1997), resulta de uma colaboração com o produtor David Frank e nele Omar faz uma excelente cover de “Golden Brown” (The Stranglers). Teve ainda a oportunidade de cantar com uma das suas vocalistas favoritas, Syreeta Wright em duas canções, incluindo a suntuosa “Lullaby”.
Em 2000, Omar volta a assinar por outra editora, desta vez a francesa Naïve Records. No ano seguinte, agora já reconhecido com um ícone da nova era do movimento soul no Reino Unido, Omar editar o seu quinto álbum: “Best by far”, um trabalho produzido por si mesmo onde se permitiu explorar o interesse por uma linguagem mais cinemática cruzando-a com o jazz. Também neste disco contou com colaborações de topo, com as presenças de Erikah Badu, Angie Stone e o vencedor do MOBO Kele Le Roc.
Antigo principal percussionista na Orquestra Kent Youth e mais tarde graduado na Guildhall School Of Music em Londres, Omar tem agora vindo a fazer música há mais de 21 anos e se é verdade que a qualidade do seu trabalho não se mede pela quantidade de hits pop que produziu, a verdade é que não se sente desencorajado. Pelo contrário, com Sing “If you want it”, Omar embarca numa nova fase da sua carreira, uma que é pensada para o trazer diretamente para a atenção de um público mais vasto que nunca.
“Estou a aproveitar a vida, neste momento”, diz. “Toco com excelentes bandas, há sempre nova música para fazer, novos estilos para unir, novas pessoas para alcançar. No outro dia fui até Sainsbury e senti que tinha estado numa telenovela ou assim. A quantidade de pessoas que vieram ter comigo para me cumprimentar!… sinto realmente que este é um novo início.”
O sétimo álbum de Omar gravado em estúdio “The Man” (Freestyle Records) foi lançado em 2013 e recebeu um excelente apoio de Gilles Peterson e Trevor Nelson e Benki B da BBC Radio, bem como de Chris Philips e Peter Young da Jazz FM, para além de ter reunido alguns dos maiores elogios de toda a sua carreira. Destaca-se a sua destreza a escrever melodias são simultaneamente frescas e não nos saem do ouvido.
Atualmente Omar encontra-se a preparar um novo álbum, Brighter The Days.