¡Golpe!

23 de Julho, 2021 – 19H00
Casa do Miradouro, Palco Inatel

Género: Jazz, Free-Jazz
Duração: 75 mins.
Com: Gonçalo Marques (trompete), João Lopes Pereira (bateria), Masa Kamaguchi (contrabaixo)
Fotografia de Mínima
Tags: Jazz, Free-Jazz
Duration: 75 mins.
With: Gonçalo Marques (trumpet), João Lopes Pereira (drums), Masa Kamaguchi (double bass)
Photo by Mínima

POR
O novo disco Totem dos ¡GOLPE! conta com a participação do contrabaixista japonês Masa Kamaguchi e apresenta composições de Gonçalo Marques e João Lopes Pereira.
João Lopes Pereira e Gonçalo Marques partilham, enquanto duo, uma certa maneira de pensar e fazer música, em que a preocupação com o som vem antes de tudo o resto. Têm tido o prazer de trabalhar com outros músicos que se relacionam com este ponto de vista, como é o caso de Masa Kamaguchi, contrabaixista japonês com quem colaboram neste concerto. Com uma vasta experiência e um som inconfundível, Kamaguchi não só se enquadra perfeitamente nesta forma de estar na música, como a potencia de uma forma muito profunda e pessoal.

ENG
The new album Totem by ¡GOLPE! features the Japanese bassist Masa Kamaguchi and presents compositions by Gonçalo Marques and João Lopes Pereira.
João Lopes Pereira and Gonçalo Marques share, as a duo, a certain way of thinking and making music, where the concern with the sound comes before everything else. They have had the pleasure of working with other musicians who relate to this point of view, as is the case with Masa Kamaguchi, Japanese bassist with whom they collaborate in this concert. With a vast experience and an unmistakable sound, Kamaguchi not only fits perfectly in this way of being in music, but also enhances it in a very deep and personal way.

BIOGRAFIAS

João Lopes Pereira
João Lopes Pereira nasceu em Lisboa em 1994. Aos 6 anos, começa a estudar percussão clássica no Conservatório Metropolitano de Música de Lisboa e depois na Escola de Música do Conservatório Nacional. Em 2008, entra na Escola de Jazz Luiz Villas Boas do Hot Clube de Portugal e estuda com Bruno Pedroso, Gonçalo Marques e Nuno Costa. Anos mais tarde, licencia-se pela Escola Superior de Música de Lisboa, no último ano estuda no Conservatoire National Supérieur de Musique et de Danse de Paris. Tem como professores André Sousa Machado, Dré Pallamaerts, Afonso Pais, François Théberge, João Moreira, entre outros. É-lhe atribuído o prémio Melhor Instrumentista na Festa do Jazz do S. Luiz e o 1.º lugar do Prémio Jovens Músicos em categoria de ensemble. Atualmente, João é um músico ativo na cena musical portuguesa, tocando um pouco por todo o mundo e trabalhando com artistas como Jacob Sacks, Mário Laginha, Jorge Rossy, Akiko Pavolka, Pedro Moreira, Enrique Oliver, Perico Sambeat, Sara Serpa, André Fernandes, André Matos, Bruno Santos, Jaume Llombart, Peter Bernstein, Demian Cabaud, Masa Kamaguchi, Nelson Cascais, Bernardo Moreira, Dee Jay Foster, Jose Carra, João Moreira, Gonçalo Marques e Félix Rossy. Os ¡GOLPE!, duo com o trompetista Gonçalo Marques, lançaram recentemente Puzzle, Tundra e Totem, pela editora Robalo. João integra as bandas Centauri, Ricardo Toscano Quarteto, Kinetic, Practically Married, MA e Trio de Jazz de Loulé. Em teatro e performance colaborou também com Tonan Quito, Filipe Melo, Paula Diogo, Alex Cassal e Miguel Moreira. João é professor na Escola de Jazz Luiz Villas Boas do Hot Clube de Portugal.

Masatochi Kamaguchi
Masatochi “Masa” Kamaguchi começa a tocar baixo elétrico aos 14 anos, influenciado por Jaco Pastorius. Em 1985 muda-se para Tóquio para estudar engenharia na Universidade de Hōsei, começa também a estudar contrabaixo e tem aulas particulares com Yoshio Ikeda, um estudante de Gary Peacock. Em 1990 resolve continuar os seus estudos na Berklee College of Music,onde tem aulas com Joe Hunt. Durante esse período, Kamaguchi toca com músicos como George Garzone, Bert Seager, Hal Crook, Herb Pomeroy e Frank Carlberg e, ao mesmo tempo, faz inúmeras digressões na Europa. Em 1994 muda-se para Nova York onde trabalha com Frank Kimbrough, Sonny Simmons, Ben Monder, David Murray, Toots Thielemans, Tony Malaby e Charles Gayle. Nos anos 90 Kamaguchi toca com os grupos Natural (de Jimmy Weinstein), Coincidence, John O’Gallagher Trio, NAM (com Ahmed Abdullah, Alex Harding, Jimmy Weinstein) e Roberta Piket Trio. Em 2006 muda-se para Barcelona e toca a partir de então com músicos americanos e europeus como Vinnie Sperrazza, Jacob Sacks e Perico Sambeat, integrando o trio / quarteto de Russ Lossing e o grupo do trombonista Samuel Blaser. Tendo participado em dezenas de sessões de gravação, será de destacar os discos com Joe Lovano, Oliver Lake e de Wallace Roney.

Gonçalo Marques
Gonçalo Marques começou por estudar trompete na escola do Hot Clube de Portugal com João Moreira. Em 2001 é escolhido para representar a escola no encontro internacional de escolas de Jazz organizado pela IASJ em no Berklee College of Music de Boston e é-lhe atribuída uma bolsa de estudo para estauniversidade. Em Boston tem a oportunidade de estudar com uma série de bons músicos/pedagogos e principalmente com John McNeill do New England Conservatory. Licencia-se em março de 2005 e regressa a Portugal no final desse ano.
Atualmente é um participante ativo no meio musical português, atua regularmente com a orquestra do Hot Club e toca também com os seus próprios grupos, foi responsável por uma Jam Session regular no café Tati durante 7 anos e foi o programador das quartas-feiras de Jazz do mesmo espaço durante o mesmo período de tempo. Já teve oportunidade de tocar com músicos como Demian Cabaud, Bruno Pedroso, André Sousa Machado, André Fernandes, Bernardo Moreira, Jeff Williams, Bill McHenry, Jacob Sacks, Guillermo Klein, André Matos, Masa Kamaguchi, Bruno Santos, John O’Ghallager, Marcos Cavaleiro entre muitos outros. Em 2016 criou a editora Robalo com o contrabaixista Demian Cabaud, esta editora já tem neste momento cerca de uma dezena de discos publicados e em 2018 fez o seu primeiro festival com o apoio da Antena 2 e com transmissão direta dos seus 9 concertos, em 2019 o número de concertos subiu para 24 e incluiu também o Porto (com o apoio da Porta-Jazz e da GDA).
A sua experiência letiva é vasta, neste momento é professor na Escola Superior de Música de Lisboa, na Escola do Hot Clube e está também muito envolvido no ensino do Jazz aos mais novos: é o responsável pelo atelier de Jazz do Hot Clube (um curso especialmente dedicado a jovens dos 10 aos 15 anos) foi também o responsável pelo programa Jam da Gulbenkian (sessões regulares de divulgação do Jazz nas escolas), foi o diretor pedagógico do programa “Férias com Jazz” do Centro Cultural de Belém e fez sessões de introdução ao Jazz integradas no festival de Jazz do Seixal. Tem realizado inúmeros workshops em Portugal: em 2011 foi um dos formadores do workshop de verão do St. Luis College of Music de Roma e em 2016 esteve em Sapporo no International Youth Jazz Camp. Tem feito algumas experiências no teatro (nomeadamente na peça Júlio César da Cornucópia com encenação de Luís Miguel Sintra e na peça Ricardo III com encenação de Tonan Quito que esteve em cena no Teatro Dona Maria) e na dança contemporânea (na peça as Bacantes com coreografia de Marlene Monteiro Freitas, já com cerca de 100 espetáculos realizados na Europa (e não só) e ainda em digressão). Da sua discografia como líder constam os CDs “da vida e da morte dos animais” gravado em 2010 para a editora TOAP, “Cabeça de Nuvem só tem Coração” e “Canção do Homem Simples”, ambos gravados para a editora Robalo e “Linhas” o seu novo CD gravado para a editora Porta-Jazz. Gravou também em coliderança com o baterista João Lopes Pereira o disco “Puzzle” para a editora Robalo. Prepara neste momento novos CDs com diversos grupos.

MAIS * MORE
Bandcamp

VÍDEO * VIDEO