InnerVille

21 de Julho, 2021 – 19H00
Carmo'81 / Jardim da Escola Profissional Mariana Seixas

Género: Hip-Hop, Neo-Soul & Jazz
Duração: 60 mins.
Com: Gabriel Soares (voz), Rafael Santos (guitarra), António Cardoso (baixo elétrico), Gonçalo Ribeiro (bateria), Hugo Silva (trompete), José Pedrosa (teclados)
Tags: Hip-Hop, Neo-Soul & Jazz
Duration: 60 mins.
With: Gabriel Soares (voice), Rafael Santos (guitar), António Cardoso (electric bass), Gonçalo Ribeiro (drums), Hugo Silva (trumpet), José Pedrosa (keyboards)

POR
Proveniente de uma cidade dividida em cinco regiões: “HipHopLand”, “SoulBlock”, “RnBHill”, “JazzHeights” e “FunkPark”, este projeto reflete o som reproduzido em todas as esquinas de “InnerVille”: A “Cidade Introspetiva” criada por este coletivo e pela sua esfera de influências através da combinação específica de certos géneros musicais.
É nesta cidade que o projeto inicia a sua jornada em 2017, aprendendo a descodificar o dialeto de cada região e aproveitando cada passo dado para questionar certos pontos da sua própria sonoridade (quer aqueles provindos de um fascínio e de um estruturalismo inerente ao ser humano, quer aqueles que espontânea, intelectual e criativamente começam a ser parte do seu processo composicional).
O projeto ergue os seus primeiros alicerces após a construção da metrópole a partir das diretrizes e das plantas desenhadas por aqueles que os antecederam, estudando os ensinamentos provindos das diferentes regiões de maneira edificar uma sonoridade coesa, concreta nas suas texturas. Ainda que por vezes utópica e alegórica no seu discurso, tentando ser um movimento, um organismo e um reflexo vivo dos exemplos que os antecederam, contudo, mantendo a premissa de trabalhar a conceção do seu ideal sónico na força do seu carácter individual.
Em 2019, um novo marco no percurso do projeto, o seu primeiro single: “Inversion”. Uma “inversão” acontece quando revertemos (invertemos) a ordem normal de uma estrutura. Embora tenhamos a perceção de estar mais que aptos para ver “através” do mundo reconhecendo assim a existência das suas estruturas falaciosas, isso não significa que devemos participar no seu “enredo” ou “jogar” o “jogo” com as regras ditadas por essas mesmas estruturas: estamos aqui para manter a cabeça erguida e solidificar a nossa essência.
Só o futuro sabe ao certo o impacto das infraestruturas criadas por InnerVille no seio desta urbe e do efeito das mesmas em testemunhos posteriores no panorama e na realidade musical que hoje experienciamos.

ENG
Coming from a city divided into five regions: “HipHopLand”, “SoulBlock”, “RnBHill”, “JazzHeights” and “FunkPark”, this project reflects the sound reproduced in every corner of “InnerVille”: The “Introspective City” created by this collective and its sphere of influences through the specific combination of certain musical genres. In 2019, a new milestone in the project’s journey, its first single: “Inversion”. An “inversion”happens when we reverse (invert) the normal order of a structure. Only the future knows for sure the impact of the infrastructures created by InnerVille within this city and their effect on later testimonies in the musical landscape and reality we experience today.

VÍDEO * VIDEO