Karyna Gomes

Concerto INATEL

24 de julho, 2022 – 19H00
Parque Aquilino Ribeiro

ENTRADA
GRATUITA
Concerto: World Music, Afro-Pop, Eletrónica
Duração:  90 min. aprox.
Com: Karyna Gomes (voz e tina), Andre Moreira (baixo), Marcos Alves (bateria), Ruben Alves (teclas), Milton Gulli (guitarra)
Tag: World Music, Afro-Pop, Eletrónica
Duration:  90 min. aprox.
With: Karyna Gomes (vocals and tina – water drum), Andre Moreira (bass), Marcos Alves (drums), Ruben Alves (keyboard), Milton Gulli (guitar)

POR
Karyna Gomes apresenta “N’na”, um álbum com inspirações afro-pop e eletrónicas que desperta o seu lado mais pop cantado em Português, Inglês e claro em Crioulo, a sua língua preferida e materna. Bastante acarinhado pelo público, dada a conceção com a origem e raízes da artista, neste álbum destacam-se os sucessos “Gustu di mel”, “Speranca” e o mais recente “Kaminhu di terra”, que fazem parte do reportório a apresentar em Viseu, num concerto que mostra o lado mais dançante de Karyna alinhado com a sua fé e liberdade.

ENG
Karyna Gomes presents “N’na”, an album with afro-pop and electronic inspirations that brings out her more pop side sung in Portuguese, English and of course Creole, her favorite and mother tongue. Quite cherished by the public, given the conception with the artist’s origin and roots, in this album we highlight the hits “Gustu di mel”, “Speranca” and the most recent “Kaminhu di terra”, which are part of the repertoire to be presented in Viseu, in a concert that shows Karyna’s more dancing side aligned with her faith and freedom.

KARYNA GOMES
Karyna Gomes é cantora e compositora. Filha de pai guineense e mãe cabo-verdiana, Karyna nasceu em Bissau, cidade pequena da África Ocidental onde cresceu a ouvir música tradicional, urbana e ritmos de todo o mundo. Considera que a sua musicalidade está enraizada nos convívios de quintal, típicos das sociedades mestiças dos trópicos e do hemisfério sul e que é influenciada pela sua vivência em três continentes – África, América Latina e Europa. Iniciou a sua carreira musical a cantar gospel no grupo ‘Rejoicing Mass Choir’ em São Paulo onde viveu cinco anos. Após ter regressado ao país natal, foi convidada por Adriano Ferreira (Atchutchi) a integrar o histórico e revolucionário grupo Super Mama Djombo. Em 2011 decide mudar-se para Portugal em busca da realização de um sonho, deixando para trás uma carreira em “Comunicação para o Desenvolvimento”. Em 2014 lançou o seu primeiro álbum “Mindjer” (Get! Records, 2014), bastante elogiado pela critica nacional e internacional. Foi destacada com dois prémios de melhor cantora em 2014 no seu país. Em 2015 foi selecionada para uma showcase no “Atlantic Music Expo” e em 2016 para o conceituado Mercado de “Visa for Music” em Rabat, que a levou a ser selecionada para vários Festivais e salas em África e Europa. Parte da imprensa tem a opinião de que a Karyna é por um lado uma cantora urbana “A Soul da Guiné Bissau” (in Jornal de Letras Nov.14), “A voz urbana Guineense” (in Público Nov.14) e o seu disco de estreia foi considerado entre os dez melhores de 2014 editados em Portugal, pela Revista Blitz. Também há quem a considere uma cantora de pop, mas Karyna prefere não usar rótulos. “Sou uma cantora Urbana, mas que também tem uma raiz tradicional, como quase todos os músicos africanos. A minha música é isso mesmo, a minha música da Guiné” (Karyna Gomes in DN, 24 julho 2016). Entre os diversos festivais em que participou, destacam-se o “Africa Fest” na Alemanha, o mais antigo palco de música africana na europa, que a levou a ser considerada uma das 10 cantoras dos PALOP que mais sucesso fazem na Europa pela Deutche Welle. Também atuou no Festival Sauti za Busara em Zanzibar — um dos maiores festivais de música de África e foi bastante aclamada pelo público do báltico nos festivais “Siesta” na Cidade de Gdansk na Polónia e no “Porta Festival” na Letónia. Em Portugal atuou em vários festivais de renome internacional, como o MED e FMM Sines, entre outros. Em 2021 lança o seu segundo trabalho, com uma sonoridade bastante atual e que mexeu com o panorama musical europeu e africano.

MAIS * MORE
Facebook
Instagram

VÍDEO * VIDEO