Peixe-Boi

Concerto INATEL

21 de julho, 2022 – 19H00
Jardim da Casa do Miradouro

DONATIVO
SUGERIDO: 3€
Concerto: Jazz
Duração:  50 min. aprox.
Com: João Carreiro (guitarra), João Fragoso (contrabaixo) e Miguel Rodrigues (bateria)
Tag: Jazz
Duration:  50 min. aprox.
With: João Carreiro (guitar), João Fragoso (double bass) e Miguel Rodrigues (drums)

POR
Peixe-Boi é a junção provável de três amigos que partilham gostos e ideias musicais. A música parte maioritariamente de fragmentos melódicos, formas específicas ou texturas subtis, submetidas ao improviso e à procura conjunta de liberdade dentro de contextos mais estruturados.

ENG
Peixe-Boi is the probable junction of three friends who share musical tastes and ideas. The music comes mostly from melodic fragments, specific forms or subtle textures, subjected to improvisation and the joint search for freedom within more structured contexts.

JOÃO CARREIRO
Nascido em Lisboa, começou por estudar guitarra clássica no Conservatório Regional Silva Marques. Estudou no Hot Clube de Portugal e na Escola Superior de Música de Lisboa, onde se licenciou em Guitarra Jazz. O seu percurso tem sido entre o jazz e a música improvisada, e tem vindo a colaborar com músicos como Albert Cirera, André Carvalho, André Matos, Carlos Bica, Demian Cabaud, Gonçalo Marques, Hugo Antunes, João Lencastre, João Lopes Pereira, João Fragoso, Leonor Arnaut, Luís Vicente, Paula Sousa, Samuel Gapp, Yedo Gibson, Vasco Furtado. Faz parte do corpo docente da Escola de Jazz Luís Villas-Boas do Hot Clube de Portugal e é membro fundador da associação Robalo Music.

JOÃO FRAGOSO
João Fragoso nasceu em 1995 em Coimbra, Portugal. Começa a sua incursão na vida musical aos 11 anos, aprendendo guitarra de forma autodidata. Em 2009 inicia os seus estudos formais na escola de música da Associação Sítio de Sons, em Coimbra, escolhendo o baixo-elétrico como primeiro instrumento, tendo optado mais tarde por prosseguir no estudo do contrabaixo. Em 2012 ingressou na ESML-Escola Superior de Música de Lisboa, no curso de Música-variante Jazz, no ramo de Contrabaixo. Nos anos de 2012 e 2014 representou, respetivamente, a Associação Sítio de Sons e a ESML, na Festa do Jazz do Teatro S. Luiz, em Lisboa. Terminou os seus estudos superiores em 2015, tendo estado entre 2016 e 2018 sob a tutoria de Alejandro Elrich Oliva. Desde 2016 que colabora com a companhia de teatro Bonifrates, de Coimbra, compondo e interpretando ao vivo música original para as suas peças de teatro. Em 2019 lança, com o seu quinteto, o primeiro disco de música original intitulado “Dura Natureza”, pela label Cena Jovem Jazz.pt.

MIGUEL RODRIGUES
Miguel Rodrigues, “uma força criativa em ascensão no jazz nacional”, concluiu o curso profissional de Instrumentista Jazz no Conservatório de Música da Jobra e tem colecionado galardões: integrou o combo vencedor do concurso de escolas da 11.ª Festa do Jazz do São Luiz, integrando o quarteto do saxofonista Sócrates Bôrras ficou em segundo lugar na categoria de Jazz Combo na edição de 2016 do Prémio Jovens Músicos da RTP/Antena 2 e em 2019 obteve o apoio à criação e edição discográfica no âmbito do open call “cena jovem” da jazz.pt.
Como músico “freelancer”, já tocou, em diferentes contextos, com Albert Cirera, André Matos, Carlos Bica, Demian Cabaud, Gonçalo Marques, João Guimarães, José Pedro Coelho, José Soares, Gileno Santana, Xosé Miguelez entre muitos outros e nas suas colaborações extravasam os domínios do jazz, tendo já tido oportunidade de tocar com António Zambujo, Elisa Rodrigues, Carlos Manuel Proença, José Manuel Neto, Jorge Palma, Miguel Araújo, Rui Veloso, Tatanka.
Há vários anos que Miguel Rodrigues tinha vontade de explorar o cruzamento de ideias escritas com a criação em tempo real e daí surgiu o seu primeiro trabalho discográfico, “Empa”, com José Diogo Martins ao piano e Demian Cabaud no contrabaixo.
“Empa” integra a lista dos melhores discos de jazz de 2021 de Nuno Catarino em “A forma do Jazz”, de António Branco na “jazz.pt”. Nos prémios jazz logical 2021 além de estar presente na lista de músico revelação nacional, ainda conta com o seu álbum nos melhores de 2021 para António Branco, Leonel Santos e Pedro Roxo.