Troll's Toy

12 de Agosto, 2020 – 21H30
Parque Aquilino Ribeiro

Concerto: Jazz, Fusão
Duração:  80 min. aprox.
Com: Gabriel Neves (Saxofone Tenor), João Martins (Bateria e Percussão) e Jorge Loura (Guitarra Barítono)
Fotografia: Rita Andias
Tag: Jazz, Fusion
Duration:  80 min. aprox.
With: Gabriel Neves (Tenor Saxophone), João Martins (Drums and Percussion) and Jorge Loura (Baritone Guitar)
Photo by: Rita Andias

POR
Estrutura e caos, silêncio e ruído, guerra e paz. Gabriel Neves, João Martins e Jorge Loura imaginaram como seria se Frank Zappa, Wayne Shorter, Richard Wagner e Egberto Gismonti se encontrassem num concerto dos Tool e formassem um trio. Desta impossibilidade matemática nasceu Troll’s Toy.
O trio trabalha composições originais que carregam sobre elas vapores de reacções químicas imprevisíveis, que ora resultam em novos materiais alcalinos, ora em soluções ácidas, orientando os relatórios destas experiências para um muito pouco contido e nada balizado jazz elétrico de fusão, revelando uma amplitude estética invulgar. O trabalho de bateria e percussão é intenso, dramático e inventivo, catalisando todas as reações em cadeia; o saxofone explora registos tão amplos que chega a parecer criar um diálogos de sopros distintos, quando, de facto, estamos na presença de um monólogo; e a guitarra travestida de baixo é precisa e omnipresente, suportando também nos silêncios e com mestria todos os outros decibéis deste laboratório de sons.

ENG
Structure and chaos, silence and noise, war and peace. Gabriel Neves, João Martins and Jorge Loura imagined what it would be like if Frank Zappa, Wayne Shorter, Richard Wagner and Egberto Gismonti met at a Tool concert and formed a trio. From this mathematical impossibility Troll’s Toy was born.
The trio works with original compositions that carry steams of unpredictable chemical reactions, which sometimes result in new alkaline materials, sometimes in acidic solutions, orienting the reports of these experiences to a very little contained and nothing marked electric fusion jazz, revealing an unusual aesthetic. The work of drums and percussion is intense, dramatic and inventive, catalyzing all chain reactions; the saxophone explores records so wide that it seems to create a dialogue, when, in fact, we are in the presence of a solo; and the guitar dressed in bass is accurate and omnipresent, also supporting in silence and with mastery all other decibels of this sound laboratory.

GABRIEL NEVES
Em 2010, ingressou no Conservatório de Música da Jobra, no curso de Instrumentista de Jazz e frequentou várias oficinas em contexto de trabalho na área do jazz com músicos como Voro Garcia, Jesus Santandreu, Toni Belenguer, entre outros. Durante o seu percurso como saxofonista colaborou, em concertos, com Corvos, Azeitonas, Miguel Araújo, Marta Ren, Expensive Soul, Moonshiners, Rui Veloso, Jacinta, José Cid, Sativa, entre outros.
Já tuou em variadas salas e festivais do país, entre os quais, Teatro São Luiz, Casa da Música, Teatro da Trindade, Teatro Circo, MEO Sudoeste e Reverence Balada.

JORGE LOURA
Estudou com João Moita, Paulo Amorim, Carlos Abreu, João Neves, Mário Delgado, Peixe, Marc Ducret, Jean Marc Belkadi ou Alex Machacek, entre outros. Tendo atuado em inúmeros festivais e palcos emblemáticos de Portugal e do estrangeiro. Dos projetos de que já fez parte colaborou, em estúdio ou ao vivo, com Souq, 47 de Fevereiro, Zen, Johnny Blues Band, Fadomorse, Darko, Mesa, Mikkel Solnado, Delta Blues Riders, Touro, Retimbrar, Black Company, Old Jerusalem, Reggae Blues Collective, Ricardo Azevedo, Minneman Blues Band, Rita Guerra, Ricardo Fino ou Gutto, entre muitos outros.
Em 2018, foi considerado pela revista Arte Sonora um dos 10 guitarristas portugueses mais influentes da última década.

JOÃO MARTINS
Em 2007, ingressou na licenciatura em bateria Jazz da ESMAE, onde estudou com Michael Lauren (bateria), Nuno Ferreira (combo e improvisação), Pedro Guedes e Carlos Azevedo (Big Band), entre outros.
Em 2011 ingressou no mestrado em Performance\Jazz\bateria na Universidade de Aveiro e estudou com alguns dos nomes mais conhecidos do Jazz em Portugal tais como: Mário Laginha, Alexandre Frazão, Bruno Pedroso, Demian Cabaud, etc. Em 2014 ingressou no mestrado em Ensino de Música na ESMAE/ESE. Apesar de ser um baterista versátil, abrangendo estilos que vão do Rock à Música Celta, o Jazz e a música improvisada têm vindo a tornar-se o principal foco da sua carreira. Exprime-se em projetos como: Souq, Phantom Trio, Standard Deflagration Trio, Rui Freitas Sexteto, Dynamite Station e Muryan.

VÍDEO * VIDEO